• Branco Twitter Ícone
  • Branca Ícone LinkedIn
  • Branco Facebook Ícone
  • Branca ícone do YouTube
  • Branca Ícone Instagram
 

Com Elon Musk, o que pode mudar no Twitter depois da compra da rede pelo bilionário?

Atualizado: há 17 horas

Proposta do empresário da Tesla para adquirir redes sociais foi, inicialmente, de US$ 43 bilhões no começo de abril



(Netflix/Reprodução)


Muito se tem comentado a respeito do empresário Elon Musk, CEO da Tesla, ter demonstrado interesse de adquirir o Twitter. Agora, depois de muita especulação e expectativas para o resultado de tudo, a rede social de fato aceitou a proposta de Musk nesta segunda-feira (25), após uma reunião de conselho no domingo (24). A informação do encontro de conselheiros foi inicialmente dada pelo The New York Times, The Wall Street Journal e demais veículos americanos.


Com o fechamento da negociação estimada em US$ 44 bilhões, Elon Musk passa a ser dono do Twitter, e também o maior acionista da empresa; ao que o CEO realizou no dia 4 de abril uma compra de US$ 2,89 bilhões em ações da plataforma. Assim, o Twitter passa a ter capital fechado, e o negócio ainda passará por aprovações regulatórias; que devem ser finalizadas ainda em 2022.


Para completar seus passos na estratégia de compra, Musk abriu na última quarta-feira (20) o registro de três novas empresas sob seu nome: cujos documentos e aporte poderiam ser utilizados também na compra das ações do Twitter.



Afinal, qual é o interesse maior de Elon Musk na compra do Twitter? Como tal negociação começou, e o que pode mudar na rede social caso o CEO confirme sua nova posição no microblog?


Mais de redes sociais: TikTok | Saiba o que é a "Effect House", nova ferramenta com função de realidade aumentada



Como começou a vontade de Elon Musk na compra do Twitter?


Há algumas hipóteses que podem explicar a real vontade de Musk em adquirir o Twitter. Inicialmente, Elon fez a primeira declaração de comprar 100% da rede no dia 14 de abril, com uma oferta de US$ 43 bilhões; o que ofereceria o valor de, em média, 54 dólares por cada ação comprada por ele.



Uma das principais motivações de Musk na compra seria, em tese, sua vontade de incentivar o livre-arbítrio e a liberdade de expressão na rede social. Para o empresário, o Twitter possui um "potencial extraordinário" a ser explorado como plataforma, e que a liberdade de expressão é um "imperativo social" para que a democracia continue a funcionar no mundo e, no caso, na internet. Em comunicado oficial, Elon também pretende combater os chamados "bots" no site.


Por outro lado, também pode ser levada em consideração a vontade de Musk de ter o Twitter como "porta-voz" de suas companhias. Nesse sentido, Elon Musk planeja futuramente unir suas marcas (Tesla, Neuralink, SpaceX e The Boring Company) sob uma única empresa, e o Twitter poderia entrar no grupo como um espaço de divulgação mais amplo a respeito de tais produtos. As três empresas registradas pelo empresário, citadas no começo do texto, supostamente fariam parte da estratégia.


Ainda, há o fato de Musk dizer que o Twitter teria maiores funcionalidades como empresa privada, se investida de maneira melhor. Se comparada a outras redes, como Instagram, Snapchat e Facebook, o Twitter tem sido uma das mais lentas em atualizações de formato.


Confira aqui também: Whatsapp terá ferramenta de "Comunidades"; veja mais sobre o que é a função


Como foi reportado em notícias recentes, Musk de fato fez uma grande movimentação em ações para que seu plano se concretizasse, e o app ficasse em suas mãos. Em documento divulgado pelo The Wall Street Journal, Elon teria feito um empréstimo de US$ 25 bilhões vindo de bancos norte-americanos, e outros US$ 21 bilhões da proposta para o Twitter seriam pagos em ações. Para tais empréstimos bancários, o CEO venderia US$ 62,5 bilhões em ações da TESLA como garantia; e isso representa um terço de sua participação na companhia de automóveis.


O que pode mudar no Twitter caso Elon Musk vire dono da rede social?


O conselho do Twitter tem analisado a proposta de Elon Musk com seriedade nos últimos dias. Com a compra concretizada, a rede social poderia ter uma movimentação positiva em relação às suas ações, e uma mudança nas ferramentas do microblog podem surgir.



Uma delas é a opção de editar tweet, que já estava sendo desenvolvida antes de Elon Musk comprar as ações e querer adquirir tudo. A ideia da ferramenta já divide opiniões dentro da rede, ao que tal função poderia ser usada para fins negativos de publicações (como fake news, por exemplo); mas apesar disso, ela já está sendo experimentada por alguns usuários na versão premium do app, o chamado Twitter Blue.


Ainda, há aqueles que defendem que a chegada de Musk no "interior" do Twitter possa ajudar a acelerar o ritmo de lançamentos de recursos e atualizações, o que ainda é lento na rede social. Como usuário ativo do site em sua conta de mais de 83 milhões de seguidores, Elon Musk trará uma nova perspectiva de utilização para o Twitter; e os resultados, positivos ou negativos, serão vistos com o passar do tempo.


O que você acha disso? Você quer que Elon Musk compre o Twitter?



Leia também:

Segundo pesquisa, mais de 60% dos trabalhadores preferem ficar no home office
Netflix mais barata? Streaming deve lançar plano de assinatura com anúncios no meio


Quer ficar por dentro de várias notícias sobre a cultura pop, cinema, séries, um pouco de mistério e muito mais? Acesse o nosso Instagram para ficar por dentro do assunto!