top of page

neonews, neoriginals e ClasTech são marcas neoCompany. neoCompany Ltda. Todos os direitos reservados.

  • LinkedIn
  • Youtube

neonews, neoriginals e ClasTech são marcas neoCompany.

neoCompany ltda. Todos os direitos reservados.

Entre em contato com o neonews

Tem alguma sugestão de pauta, eventos ou deseja apenas fazer uma crítica ou sugestão, manda um email pra gente.

  • Foto do escritorRedação neonews

Tratar Bem um Chatbot Poderia Melhorar seu Desempenho | É o que Diz um Novo Estudo

Pesquisadores exploram como a cortesia influencia as respostas da inteligência artificial


Pesquisadores exploram como a cortesia influencia as respostas da inteligência artificial
Tratar Bem um Chatbot

(Foto: Divulgação)


A maneira como interagimos com inteligências artificiais pode ter um impacto significativo em seu desempenho, sugere um estudo recente conduzido por cientistas da Microsoft. Embora as IA não possuam sentimentos, os pesquisadores descobriram que instruções emotivas podem melhorar a eficácia das respostas dos modelos generativos.


Segundo Bob Furuya, os cientistas da Microsoft, em colaboração com a Universidade de Pequim e a Academia Chinesa de Ciências, observaram que "os modelos generativos de IA em geral têm melhor desempenho quando solicitados de uma forma que transmita urgência ou importância". Isso inclui frases como "É crucial que eu seja entendido" ou "Isso é muito importante para minha carreira".


Esses resultados refletem um fenômeno mais amplo observado por pesquisadores na indústria de IA. Por exemplo, a Anthropic, startup especializada em IA, conseguiu influenciar o comportamento de seu chatbot Claude para evitar respostas preconceituosas simplesmente pedindo de forma enfática que ele não as desse. Da mesma forma, cientistas de dados do Google descobriram que instruir um modelo de linguagem a "respirar fundo" melhorou sua capacidade de resolver problemas matemáticos complexos.


Embora surpreendentes, esses resultados levantam questões sobre a natureza da interação humano-máquina. Os pesquisadores enfatizam que as IA não possuem emoções reais; são sistemas estatísticos que processam dados de acordo com modelos pré-estabelecidos durante o treinamento.


Nouha Dziri, pesquisadora do Instituto Allen de IA, explica que "os modelos são treinados para maximizar a probabilidade de sequências de texto", o que significa que instruções educadas podem alinhar melhor as solicitações com os padrões de treinamento dos modelos. Ela também sugere que o desempenho da IA está intimamente ligado ao prompt ou comando textual dado para executar uma tarefa específica.


No entanto, Dziri reconhece que a IA ainda tem muito a evoluir: "Descobrir o prompt perfeito que alcançará o resultado pretendido não é uma tarefa fácil e é atualmente uma questão de pesquisa ativa". Ela expressa a esperança de desenvolver novas arquiteturas e métodos de treinamento que permitam às IA entender melhor o contexto e responder de forma mais fluida, sem depender de prompts específicos.


Enquanto isso, a questão de como melhorar a interação com chatbots continua a ser explorada, prometendo insights valiosos sobre o futuro da inteligência artificial e suas interações com os seres humanos.


 



コメント


bottom of page