top of page

neonews, neoriginals e ClasTech são marcas neoCompany. neoCompany Ltda. Todos os direitos reservados.

  • LinkedIn
  • Youtube

neonews, neoriginals e ClasTech são marcas neoCompany.

neoCompany ltda. Todos os direitos reservados.

Entre em contato com o neonews

Tem alguma sugestão de pauta, eventos ou deseja apenas fazer uma crítica ou sugestão, manda um email pra gente.

  • Foto do escritorRedação neonews

Quem foi a pintora renascentista admirada por Michelangelo

Sofonisba Anguissola, muitos não conhecem seu nome, mas a pintora era aprendiz de Michelangelo.


Gustavo comemorando a liderança

(Foto: Divulgação)



Sofonisba Anguissola nasceu em uma nobre família italiana e pode ser considerada a primeira artista ‘celebridade’ da história, apesar de ter sido ofuscada pela história e não possuir o reconhecimento que deveria nos dias atuais.


Reconhecida pela realeza espanhola e por Papa, Sofonisba é considerada a pioneira do renascimento. Em meados de seus 20 anos, ela impressionou Michelangelo e foi se tornando uma das artistas mais reconhecidas da época, pintando grandes personalidades até sua morte.


Nascida em 1532, na região de Cremona, na Itália, em uma família nobre, foi filha de Amilcare Anguissola, que teve uma decisão não muito comum na época e incentivou a filha a virar uma pintora profissional.


Com o tempo, a garota que na época tinha 14 anos e aulas com o pintor Bernardino Campi, começou a mostrar seu talento que não poderia ser ignorado.


Sofonisba Anguissola fazia parte de uma família atípica, na qual os pais prezavam por uma ótima educação tanto para os meninos quanto para as meninas. Uma de suas obras mais famosas é o retrato de suas irmãs jogando xadrez, jogo masculino para a época.



 

Publicidade

 

Michelangelo conheceu a pintora por meio de um retrato de uma menina rindo, mas logo já pediu para ela lhe enviar o retrato de alguém triste, chorando. Ela já logo enviou um esboço em carvão de seu irmão chorando. O pintor já ficou impressionado, reconheceu o imenso talento da pintora e se ofereceu como uma forma de tutor informal.


Após o reconhecimento do pintor, não demorou muito até que ela ganhasse fama internacional, se tornando a primeira artista mulher da história a realizar o feito de se tornar uma pintora reconhecida por tantos e internacionalmente.


Após tamanho reconhecimento, a pintora só cresceu, além de ter sido reconhecida por diversos pintores renascentistas, ela incentivou mais mulheres a entrarem nesse ramo. Além disso, ela chegou a ficar anos na Espanha pintando para corte e também pintou para Papa Pio 4º, que escreveu para ela pedindo um retrato da rainha espanhola.


Sofonisba viveu até os 93 anos e levou uma vida de famosa, com grandes admiradores e status social. Apesar disso, continuamos sem escutar o nome dela e poucos conhecem sua grandiosidade. Isso pode ser explicado pela socióloga Isabelle Anchieta, "a história das mulheres é feita mais de apagamentos do que de ausências".


"O que está acontecendo agora é uma recuperação desses quadros, de uma recolocação das mulheres na história, em todos os sentidos. Estamos redescobrindo-as. E acho que isso diz respeito às mulheres em todos os mercados, inclusive o artístico", afirma Anchieta.


 

Publicidade

 

Comentários


bottom of page