top of page

neonews, neoriginals e ClasTech são marcas neoCompany. neoCompany Ltda. Todos os direitos reservados.

  • LinkedIn
  • Youtube

neonews, neoriginals e ClasTech são marcas neoCompany.

neoCompany ltda. Todos os direitos reservados.

Entre em contato com o neonews

Tem alguma sugestão de pauta, eventos ou deseja apenas fazer uma crítica ou sugestão, manda um email pra gente.

  • Foto do escritorRedação neonews

Itokawa | Cientistas descobrem asteroide que pode proteger a Terra

Cientistas australianos examinaram material coletado por sonda japonesa e descobriram um asteroide “almofada”.


"Descobrimos que o Itokawa é como uma almofada espacial gigante e muito difícil de destruir", afirmaram os pesquisadores.


Cientistas australianos analisaram alguns fragmentos do asteroide Itokawa e fizeram descobertas que afirmam que podem ajudar nos estudos de objetos perigosos ao nosso planeta e de defesa planetária. Foram analisadas três estruturas trazidas durante a missão da agência espacial japonesa, Jaxa, que voltou para a Terra em 2010, estruturas essas menores que grãos de arroz.


O tamanho não foi um problema para os pesquisadores, que descobriram que o asteroide que está a 2 milhões de quilômetros da Terra e possui 500 metros de comprimento, é difícil de destruir e resistente a colisões, além de terem descoberto que o asteroide foi formado no início do Sistema Solar, cerca de 4,2 bilhões de anos atrás.



 

Publicidade

 

“Esse tempo de sobrevivência tão surpreendentemente longo para um asteroide do tamanho de Itokawa é atribuído à essa natureza de choque absorvente que é característica do material que forma essa pilha de escombros", afirmou Fred Jourdan, professor da Escola de Ciências da Terra e Planetárias da Curtin University e principal autor do projeto.


"A boa notícia é que também podemos usar essa informação a nosso favor", acrescentou o coautor do estudo, Nick Timms, também da Escola de Ciências da Terra e Planetárias da Curtin.


"Se um asteroide for detectado tarde demais para um impulso cinético, podemos usar uma abordagem mais agressiva, como uma onda de choque de uma explosão nuclear para empurrar esse asteroide de pilha de escombros fora do seu curso, e sem destruí-lo".


 

Publicidade

 


Comments


bottom of page